Guia do Estudante

ProUni

ProUni registra quase 500 mil inscritos; prazo termina nesta sexta (10)

Primeira chamada para matrícula será divulgada na próxima segunda (13)

da redação | 10/06/2016 12h 47

A um dia do fim das inscrições, a segunda edição de 2016 do Programa Universidade para Todos (ProUni) registrava 477.552 candidatos. Segundo balanço do Ministério da Educação (MEC), às 18h de quinta-feira (9), havia 921.103 inscrições, porque cada candidato pode fazer duas opções de curso.

>> Inscreva-se no ProUni 2016/2

Datas

O período começou na última terça-feira (7) e termina às 23h59 desta sexta-feira (10). O resultado da primeira chamada sai na próxima segunda-feira (13). Os estudantes selecionados devem providenciar a matrícula no período de 13 a 20 de junho para a primeira chamada e de 27 de junho a 1º de julho para a segunda. O prazo para manifestar interesse na lista de espera vai do dia 8 ao dia 11 de julho. São 125.442 bolsas de estudo oferecidas em 22.967 cursos de 901 instituições de ensino superior.

Das bolsas, 57.092 são integrais e 68.350 parciais. São Paulo é onde há maior oferta, com 34.725, seguido de Minas Gerais, 12.004, e o Distrito Federal, com 9.182. Os cursos que mais oferecem vagas são Administração, com 12.500, Direito, 8.561, e Pedagogia, 7.139. Além disso, os cursos de Engenharia, somados, têm 14.410 vagas.

>> Entenda o ProUni passo a passo

O ProUni

Pode se inscrever o estudante que não tenha diploma de curso superior, que tenha feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015, com no mínimo 450 pontos na média das notas e com nota acima de zero na redação.

O estudante ainda precisa atender a pelo menos uma das seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral; ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente como bolsista integral; ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública de ensino.

Pode concorrer à bolsa integral o candidato cuja renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de 1,5 salário-mínimo. As bolsas parciais são para os casos em que a renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de três salários mínimos.

Compartilhe