Guia do Estudante

Consulte o Orientador

Quero Medicina, mas é muito concorrido. Que plano B posso ter?

Fernanda pergunta: "Quero fazer Medicina desde criança, e agora estou no último ano do ensino médio e no cursinho. Mas não sei se vou conseguir passar em uma faculdade pública e queria ter uma segunda opção, mas não sei qual. Me ajudem."
Letícia pergunta: "Queria medicina, mas não tenho dinheiro para pagar uma faculdade. O que devo fazer?"

Por Maíra Habimorad*

Costumo brincar que cursar medicina é quase como uma sina, um destino, algo que quem sabe que quer dificilmente consegue se realizar fazendo outra coisa. Tenho um médico na minha família e, apesar de ser um dos mais renomados em sua especialidade, sempre que vou visitá-lo em sua casa vejo livros abertos espalhados pelo escritório. Ser medico é uma daquelas escolhas que envolvem uma dedicação eterna aos estudos e à profissão.

Começo a responder a pergunta desta forma para que todos entendam que essa fase de extrema dedicação para entrar na faculdade (e também para sair dela!) não é uma fase - é uma escolha para a vida toda.

>> Dez fatos sobre o curso e a carreira de Medicina

Para aqueles que têm dúvidas sobre essa escolha ou acham que poderiam se realizar em outra profissão, sugiro que parem para pensar nas características da profissão de médico e tentem identificar estes atributos em outras profissões. Os que querem fazer medicina para poder ajudar pessoas podem considerar uma carreira em fisioterapia, psicologia ou serviço social. Os que querem medicina por estarem envolvidos na área de diagnósticos e análises podem considerar biomedicina. Aqueles que desejam estar envolvidos em cirurgias podem buscar uma carreira como instrumentadores cirúrgicos ou enfermagem com especialização medico-cirúrgica.

É importante entender o que está por trás do desejo de cursar medicina para tentar encontrar outra profissão que tenha características semelhantes e possam também levar a satisfação.

No entanto, acredito muito no poder de um sonho. Se este for realmente genuíno, é um desperdício desistir antes de tentar. Existem universidades públicas e bolsas de estudo para os que não podem financiar o curso. Sei que é muito concorrido, mas de novo, o sucesso e realização profissional são para quem se dedica mais do que média e, nesta fase, estuda mais do que a maioria. Não é comum ouvir histórias de pessoas que estudaram mais de 3 anos para entrar em medicina. É incomum ouvir histórias de pessoas que com poucos recursos financeiros fizeram isso, mas não é impossível. Tudo depende do tamanho do seu sonho.

 

*Maíra Habimorad é presidente da Cia de Talentos. Estudou Relações Internacionais e Economia na FAAP e é coach certificada pela Associação Brasileira de Coaching. Tem mais de 15 anos de experiência em recrutamento, seleção e gestão de programas de desenvolvimento de trainees, estagiários e gestores.

O Guia do Estudante acaba de começar uma parceria com a Cia de Talentos, que, por meio da plataforma de carreira Biruta, oferece orientação vocacional a jovens. A presidente da companhia, Maíra Habimorad, passará a responder as dúvidas dos leitores do GE toda semana.

Compartilhe